Todos os post de Giovanni Bassi

Arquiteto e desenvolvedor, agilista, escalador, provocador.
Programa porque gosta, e começou a trabalhar com isso porque acha que trabalhar como administrador é meio chato. Por esse motivo sempre diz que nunca mais vai virar gerente de ninguém. E também porque acredita que pessoas autogerenciadas funcionam melhor e por acreditar que heterarquia é melhor que hierarquia. Mas isso é outro assunto.
Foi reconhecido  Microsoft MVP depois que alguém notou que ele não dormia a noite pra ficar escrevendo artigos, cuidando e participando do .Net Architects, gravando o podcast Tecnoretórica, escrevendo posts no blog e falando o que bem entende no twitter @giovannibassi. E por falar nisso é no twitter que conta pra todos que gerencia de projetos deve ser feita pelo time e não por um gerentes, que greves em TI são coisas sem sentido e que stored procedure com regras de negócio são malígnas.
Você já deve ter percebido (até porque está lá na primeira frase) que Giovanni é agilista. De tanto gostar disso ele trouxe os programas de certificação e treinamento  PSD e PSM da Scrum.org pro Brasil, e por causa deles, do MVP e de algum trabalho que aparece tem que ficar indo pros EUA de vez enquando, coisa que prefere não fazer. (É bem comum você ouvir ele perguntando porque a Scrum.org e a Microsoft não estão na Itália, por exemplo.)
Junto com alguns Jedis criou a Lambda3, que, apesar de ser pequena e de não ser muito comum no Brasil, insiste em fazer projetos e consultoria direito. Por causa da Lambda3 ele tem trabalhado mais do que quando era consultor independente, mas menos do que a maioria das pessoas. Quer dizer, isso se você considerar que os trabalhos junto à comunidade não são trabalho, caso contrário ele trabalha mais que a maioria das pessoas.
Recentemente ele resolveu que merecia viver melhor e ganhar uns anos de vida e desistiu de ser sedentário, fazendo algum barulho de vez em quando com os amigos no twitter com a hashtag #DotNetEmForma. Por causa do convite recente de amigos do lado Open Source (que ele respeita e admira), começou a escalar, e agora está sempre com as mãos machucadas. Mas ainda dá pra programar. Você encontra ele sempre em algum evento, como o TechEd, e o DNAD, mas também outros menos comuns para o pessoal do .NET, como a RubyConf. Nesses eventos, ou ele está vendo palestras, ou batendo papo com alguém, ou codando alguma aplicação que alguém achou que dava pra fazer durante o evento.

Contêineres e Docker nativos no Windows

A Microsoft acaba de anunciar o suporte a contêineres nativos no Windows, com suporte à gestão baseada em Docker. Como entusiasta da ideia de contêineres e do Docker eu vejo isso com muito bons olhos. Já aproveitava os benefícios que os contêineres oferecem no Linux desenvolvendo Node, Java, Ruby, etc, e agora poderei fazer isso também quando desenvolver pra Windows, com .NET ou qualquer outra coisa. Vejam a arquitetura dentro do Windows, muito semelhante à que temos no Linux (tirado do Continue Lendo →

Palestra de Docker no Azure

No sábado passado apresentei como rodar Docker no Azure no evento Azure Summit Brasil 2014. Já venho palestrando nesse evento há vários anos, e o evento foi ótimo. A palestra foi filmada, e deve ser disponibilizada no site do evento. Enquanto isso, você pode ver os slides por aqui. Aproveito pra falar que Docker é uma tecnologia sensacional que temos usado aqui na Lambda3. Pretendo falar mais sobre ela, então fiquem atentos. Docker no Azure from Giovanni Bassi Até o próximo! Continue Lendo →

Integração de Universal Apps com as novas APIs REST do TFS

Nesse último sábado aconteceu o ALM Summit Brasil 2014. Eu estava lá pra prestigiar, já que era um evento organizado pela Lambda3, mas também fiz uma palestra sobre um assunto que tem a ver com o evento mas também com o meu trabalho atual. Estou desenvolvendo uma app de Windows 8, Windows Phone, Android e iOS utilizando Universal Apps, que acessa o Visual Studio Online (e TFS On Premises) utilizando as APIs REST que estão em preview nesse momento. Apresentei as Universal Apps, depois mostrei Continue Lendo →

Palestras de NodeJS e EcmaScript 6 do TDC 2014

Ontem e hoje tive palestras no TDC 2014. Ontem o Victor Cavalcante e eu apresentamos na trilha de JavaScript as novidades do EcmaScript 6. Mostramos com código as novidades. Se você quiser entender melhor pode ouvir o Tecnoretórica onde o Victor e eu discutimos esse assunto. Os slides estão abaixo, e neles há exemplos reais de código que você pode consultar: E hoje eu abri a trilha de NodeJS (que está rolando nesse momento, lotada!), com uma palestra de introduçãon ao Node. É uma boa Continue Lendo →

Resolvendo o problema de testes de integração inconsistentes: xUnitRetry

Um problema chato foi apontado na retrospectiva final de um projeto recente em que a Lambda3 entregou (por falar nisso: com sucesso, dentro do prazo, do escopo, do custo, com testes e código limpo e deixando o cliente feliz). Nossos testes de integração end-to-end deram muito trabalho. Muitas vezes inconsistentes, eles nos tomaram um tempo de desenvolvimento maior do que gostaríamos. Explicando um pouquinho da arquitetura: era um projeto web, ASP.NET MVC utilizando para armazenamento Azure Continue Lendo →

Migrando um projeto do Azure para a versão 2.3

Saiu durante o Build o SDK 2.3 do Azure. Eu atualizei as dependências de um projeto em que estava trabalhando para essa versão utiliznado Nuget, atualizei o servidor de build e tudo fucionou, build acontecendo normalmente e testes passando. Até que eu montei um outro servidor de build e o build falhou. Porque? Porque o Visual Studio não atualiza um projeto de cloud services automaticamente para a versão 2.3. Um projeto web, ASP.NET, não vai sofrer com isso. Já um projeto cloud services sabe Continue Lendo →

Novidades na próxima versão do C# (projeto Roslyn)

Semana passada durante o evento Build da Microsoft foram apresentadas diversas novidades. As mais interesssantes, na minha opinião, são as sobre C#. O time do C# vem fazendo um excelente trabalho, tanto no lado técnico quando em outros. Por exemplo, foi anunciado que agora o compilador do C# é open source, com uma licença Apache 2, muito permissiva. Você agora pode baixar o compilador, que foi reescrito em C#, e testar na sua máquina. Vá para roslyn.codeplex.com, clone o projeto e veja por Continue Lendo →